GNfala

Meninas decentes não vão à choppadas!

 

Olá meus Ninjas, vamos abrir uma discussão bem séria agora sobre decência.

Uma amiga e eu estávamos conversando sobre uma festa que eu quero ir no fim de semana, e ela disse essa exata frase: Meninas decentes não vão a choppadas! A princípio fiquei me sentindo meio mal, fiquei pensando que eu não era decente, que eu não devia ir, devia me dar ao respeito para que eu seja respeitada, mas daí eu pensei: O que eu fiz para não ser considerada decente? Querer ir dançar e beber com as amigas não é decente? Estar solteira e se interessar por alguém não é decente? Viver a minha vida da forma que me faz feliz, sem desrespeitar ninguém, sem fazer mal a ninguém, sem trair ou decepcionar ninguém, com consciência dos meus atos, pagando minhas contas, cuidando do meu futuro não é decente?

Mas eu a entendo! Ouvimos isso desde criança, mulheres não devem sair pra beber e se divertir solteiras porque não seremos respeitadas, nós devemos nos dar ao respeito e não os homens que estão ali pra se divertir tanto quanto nós. Eles têm o direito, fazem isso desde o princípio dos tempos. Ele não ficará mal falado, tem que ter experiências antes de se amarrar a uma mulher decente.

Eles levantam cedo na segunda, assim como elas, eles trabalham até mais tarde por um pouco mais de grana, assim como elas, eles saem com os amigos para se divertir, assim como elas, eles chegam em casa de madrugada, assim como elas, mas elas não são decentes, elas não se dão ao respeito, elas não são para casar.

Mas isso é muita incoerência, está tão entranhada em nós que parece normal, mas não é, não faz sentido nenhum. Devemos ensinar aos nossos filhos que independente de onde uma mulher esteja independente da sua roupa, do seu nível alcoólico ou do seu comportamento isso não dá nenhum direito a ele de tocar nela. Devia ser ensinado a ele a não julga-la pelo estilo de música que ela escuta ou o tipo de festa que frequenta. Porque ele nunca será julgado por isso. Pode parecer banal, pode parecer vitimismo, mas não é, é apenas falta de consciência que ainda nos falta.

Estamos tão acostumadas a julgar nós mesmas que nem percebemos. Lutamos todos os dias por mais espaço no mundo, por salários mais justos, por igualdade de tarefas e espaço no mercado de trabalho e ainda assim vemos uma de nós fazendo algo, como ir a uma choppada sem um namorado apenas para se divertir e somos as primeiras a chama-lá de piranha, vagabunda, essa menina não é decente, não serve pra casar. Como se ir a uma festa ou não dissesse tudo que ela é por dentro.

Isso me entristece muito, porque fica sim um sentimento ruim, será que estou envergonhando meus pais? Será que estou “dando” condições para que aconteça algo sem meu consentimento? Será que estou dando o direito de me passarem a mão ou me puxarem pelo braço como se eu fosse obrigada a beijá-lo? Espero sinceramente que não, espero sinceramente que a mentalidade da humanidade esteja mudando. Sei que ainda estamos longe do fim dessa luta, do fim desses preconceitos, mas vou continuar lutando e vou continuar indo em festas, e dançando até o chão. Não vou fingir ser outra pessoa para arrumar alguém. A verdadeira felicidade vem de nós e prefiro estar sozinha, pra sempre, que estar em relacionamentos abusivos o que já nos dá margem pra outra séria discussão. Se você, homem ou mulher, continuar achando que não sou descente só quero que saiba que o problema é TODO seu.

 

Para mais leituras é só clicar aqui:

Amores de Verão

Deus não está morto – O Filme

Estudante de Ciências Náuticas, ninja por natureza, ligada no 440V. Apaixonada por livros, cinema e viagens,